fbpx

Jovens cientistas estudam nozes africanas no combate à halitose.

2Pode ser numa salada Waldorf, pode ser na ceia de Natal: todos nós amamos nozes! Mas você sabia que elas podem ser uma maneira natural de ajudar no combate ao mau hálito?

Na verdade, não temos 100% de certeza ainda, mas há fortes indícios que isso possa ser verdade, especialmente em se tratando de nozes africanas.

Há três anos atrás, durante a Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel, dois adolescentes da Doregos Private Academy em Lagos, na Nigéria, apresentaram seus achados experimentais sobre o uso de nozes africanas para vencer a halitose. Este evento de prestígio, agora patrocinado pela Intel, foi criado em 1950 pela Society for Science & the Public (SSP) para reunir estudantes do ensino médio de todo o mundo para exibir suas descobertas científicas.

Uma pesquisa de adolescentes movida pela observação e curiosidade.

Durante uma viagem escolar a uma vila na Nigéria, os alunos receberam como lanche nozes africanas (são diferentes das nossas, com um sabor que lembra avelã). Uma das alunas percebeu que, ao acordar pela manhã – antes de escovar os dentes, a respiração já estava fresca. Então lembrou-se de ter comido nozes na noite anterior. Nas manhãs seguintes acordou novamente com a respiração fresca. E, ao comentar com os colegas, a discussão foi para saber se era coincidência ou não. Foi então que criaram um experimento para testar a teoria.

Os voluntários foram divididos em quatro grupos: um comeu nozes inteiras, outro mastigou a goma de nozes, o terceiro usou enxaguatório bucal de nozes e o quarto grupo tornou-se o grupo “controle”, sem usar nada para que os resultados do teste pudessem ser medidos.

Como a ideia não era apenas brincar de cheirar a respiração dos voluntários, os jovens cientistas fizeram com que os voluntários soprassem bolhas para uma solução que ficaria preta com a presença de sulfeto de hidrogênio. Somente o grupo de controle soprou bolhas que se tornaram água preta, indicando que havia bactérias nas suas bocas – nenhum dos experimentos com nozes deixavam a água preta. Os pesquisadores também limparam as bocas de cada um dos voluntários e foi verificado que os consumidores de nozes apresentaram menor número de bactérias nos cotonetes.

Imagine que pesquisa incrível para um grupo de crianças que, com o poder da observação, descobriu um novo benefício para as nozes africanas.

Calma, você não precisa comer nozes africanas todos dias.

Como a noz africana tem propriedades diferentes daquelas que conhecemos, o júri ficou curioso para saber se o mesmo acontece com as nozes em nosso continente.

De qualquer forma, não é por falta de nozes africanas que não vamos manter o hálito fresco, né?

Podemos conseguir o efeito de frescor mantendo uma rotina diária de higiene bucal que inclui 3 passos: escovação, uso do fio dental e sistema TUNG Brush & Gel, que é até o momento o aliado mais poderoso para evitar a halitose, em seus diferentes graus.

Fonte: blog http://www.tungbrush.com

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: