fbpx

Vamos falar sobre check-up?

Você come direito, não fuma, faz atividades físicas, tem boa saúde e, mesmo assim, o seu médico pediu um checkup.

Por quê?

Simplesmente porque mesmo pessoas sem fatores de risco podem iniciar uma rotina de check-up a partir dos 30 anos e realizá-lo anualmente ou a cada dois anos. Já que a maior parte das doenças, inclusive aquelas que parecem começar abruptamente, surge de um longo processo que se inicia muito antes de seu aparecimento e segue em silêncio até os primeiros sintomas.

Não é porque alguém não sente nada que está tudo em ordem.

A realização do check-up permite rastrear e diagnosticar precocemente doenças cardiovasculares como o infarto e o AVC; doenças neoplásicas como o câncer de intestino, de pele, de mama e de próstata; doenças metabólicas como o diabetes, o hipotireoidismo e a osteoporose e doenças infecciosas como as hepatites crônicas.

Basicamente os objetivos do check-up são rastrear fatores de risco a fim de modificar o estilo de vida e assim evitar o surgimento da doença. Assim como detectar o mais precocemente possível as doenças já presentes no momento do check-up.

Quebrar tabus também é função do checkup.

Houve um tempo a doença cardíaca era considerada doença de homem ou gente idosa.

Os números mostram que não é bem assim.

Hoje, no Brasil, morrem mais mulheres acima dos 50 anos de infarto do miocárdio do que de todos os cânceres combinados que atingem o aparelho reprodutor feminino.

Cada vez mais as mulheres estão bem informadas sobre as doenças que as atingem diretamente, como o câncer de mama, útero e ovário, doenças cardiovasculares, osteoporose, disfunção tireoidiana, entre outras.

Como a avaliação é fundamental para monitorar a saúde e o bom funcionamento do organismo, a partir dos 30 anos, a lista de exames que as mulheres devem seguir anualmente à risca são: ultrassonografia pélvica e transvaginal, teste ergométrico, mamografia, papanicolau, colonoscopia, testes oculares, análises sanguíneas e densitometria óssea.

E quanto aos homens?

O diagnóstico precoce de problemas de saúde pode evitar a evolução de doenças graves, como câncer, diabetes e hipertensão: as moléstias que estão entre as principais causas de morte entre os homens.

Assim como as mulheres devem fazer exames preventivos desde a primeira menstruação, os homens devem também começar exames desde a juventude, incluindo exame de sangue (hemograma e dosagem dos níveis de colesterol total e frações, triglicérides, glicemia e insulina); aferição de pressão arterial; verificação de peso e cálculo de IMC (índice de massa corporal); função pulmonar (indicada aos fumantes); pesquisa de antígeno de superfície do vírus da hepatite B (HBsAg); teste de detecção de sífilis; e pesquisa de anticorpos anti-HIV e dos vírus da hepatite C.

Além disso, para os homens com mais de 40 anos, quando existe indicação do médico, é importante fazer também o exame de toque retal e o teste para verificar a reação do antígeno prostático específico (PSA) no sangue. Já que alterações nos níveis dessa substância podem indicar o aparecimento de problemas na próstata.

Seja homem, seja mulher, a partir dos 50 anos os exames anuais (a periodicidade pode ser alterada de acordo com os resultados de exames ou a critério do médico) devem incluir colonoscopia (avaliação intestinal), exames de fundo de olho para detecção de problemas oculares – como catarata ou glaucoma – e avaliação ortopédica a fim de evitar complicações motoras no envelhecimento.

Outro acompanhamento preventivo super importante é o odontológico, que deve começar na infância, com visitas regulares ao dentista, duas vezes ao ano. Porque cuidar da saúde oral é também cuidar do corpo todo, já que a boca é a entrada de muitas doenças no organismo.

Como dizem, prevenir ainda é o melhor remédio.

Então, bora se cuidar?

 

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: