fbpx

A conexão entre higiene oral e Alzheimer.

Sabia que como você cuida da higiene oral pode afetar suas chances de contrair Alzheimer nos próximos anos?

Diversas pesquisas indicam que doenças periodontais podem ser um fator de risco importante para a doença de Alzheimer, especialmente quando a gengivite persiste por mais de dez anos.

Um estudo americano publicado na revista Science Advances detalha que um tipo de bactéria chamada Porphyromonas gingivalis – ou P. gingivalis (associada à doença da gengiva) foi encontrada nos cérebros de pacientes com doença de Alzheimer.

Pesquisadores da University of Central Lancashire foram os primeiros a estabelecer essa conexão, mostrando que a bactéria pode migrar da boca para o cérebro em camundongos. E, na entrada do cérebro, pode desencadear uma resposta do sistema imune como acontece na boca, matando as células cerebrais. A resposta imune poderia ser um mecanismo que leva a alterações no cérebro, algo típico no mal de Alzheimer.

Pesquisas mais recentes de empresas como a Cortexyme trazem novas evidências à teoria – se puder, veja no site um vídeo interessante que explica esse processo.

Mas antes de entrar em pânico, é importante lembrar que a doença de Alzheimer está ligada a uma série de outras condições e não apenas à doença gengival. Ou seja, nem todos que sofrem de doença gengival desenvolvem a doença de Alzheimer.

O que é doença gengival?

A primeira fase da doença gengival é conhecida como gengivite, quando as gengivas estão inflamadas por causa do acúmulo de placa bacteriana. Normalmente é um problema reversível apenas com a melhoria da higiene oral, principalmente pelo uso das escovas interdentais.

Na segunda fase, surge a chamada “bolsa periodontal” que é o aprofundamento do sulco gengival e que acaba sendo colonizada por diversos tipos de bactérias. É quando a gengivite se converte em periodontite, tornando-se quase impossível eliminar as bactérias apenas com a higienização, e um tratamento com um periodontista é necessário para controlar a doença.

Pessoas com higiene oral precária tem alto risco de sofrer de doenças gengivais.

Outros fatores como genética, tabagismo, alimentação, puberdade, medicamentos e gravidez podem aumentar as chances do desenvolvimento dessas doenças.

Enquanto os cientistas não podem afirmar com certeza quem são os grupos “de risco” do Alzheimer, as pessoas podem se prevenir de diversas outras doenças por meio de um melhor gerenciamento de sua saúde oral. Isso inclui o hábito de escovar os dentes, usar fio dental e escovas interdentais e fazer a limpeza da língua com produtos específicos como TUNG Gel & Brush.

 

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: